sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Suzana na sala de espera




Esse tal de amor às vezes nem pede licença.
Deixe ele entrar, pode valer a pena a visita.
Vai saber....


Foi o que Suzana pensou naquela noite quente, quando o ventilador quebrou e ela não conseguia dormir. A visita foi esperada para o dia seguinte e é exatamente neste tempo que estamos agora. Ela nem se arrumou, mas passou perfume. Quando era pequena, sua avó dizia que precisava estar sempre perfumada para o coração. Com a única ingenuidade que lhe resta, ela passou seu perfume predileto e dedicou sua manhã ao sol, que insistia em brilhar na cidade. O dia terá 24 horas como todos os outros, mas os minutos passam irritantemente de forma lenta. Espera, Suzana. Ele já vem.


VS.

4 comentários:

Henrique Crespo disse...

Não sei porque mas lembrei da Rita cantando:

Me aqueça!
Me vira de ponta cabeça
Me faz de gato e sapato
E me deixa de quatro no ato
Me enche de amor, de amor

Suzana podia cantar essa ode a visita do amor da madame Lee.

Violet Scott disse...

É bem por aí, Henrique.
Vamos ver que tipo de visita será essa. Wait!

Beijo, VS.

Mix disse...

Esse tal de amor...
às vezes chega sem pedir licença...e fica.

aí, às vezes, nós quem temos que pedir licença e manda-lo embora.
"voa beija flor, vai dar seu amor pra quem não te conhece. Sai da minha vida, busque um novo amor, vc não me merece"...

Mas esse não deve ser o caso da Suzaninha...

Bjo

Violet Scott disse...

Será? Não sei ainda. Lembremos que uma visita tem altos e baixos, ainda mais se for longa. Beijo.