sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Noite de dois



Era a primeira vez que eu ia naquele lugar. Bonito, quase chique. Andei poucas quadras e ouvi uma música da esquina, o que me convidou a entrar naquele ambiente até então desconhecido e escuro. Confesso que como amante da cidade de São Paulo, desbravei poucos esconderijos. 

O ambiente não era escuro por completo. Logo na entrada havia muita luz, e podíamos ver todos os rostos ali presentes. Rostos sorridentes, divertidos e simpáticos. Aquele não era um lugar para praticar a seriedade. Eu estava sozinha e isso não me incomodou nem quando vi que todos ali presentes estavam acompanhados. Eu não conhecia muita gente na cidade e, os poucos que conhecia, não eram agradáveis o suficiente para merecerem o meu convite naquela noite. Era uma noite clara e agradável, e eu não pararia no drink e na boa música. Era uma noite para ir além. 

Segui as notas musicais e me vi em um salão com meia luz, uma banda, e quase todas as cadeiras e mesas ocupadas por rostos similares aos da entrada.  A única cadeira vazia fora prontamente ocupada por mim. Sentei-me e tratei de observar aquele ambiente. A banda era ótima e todas aquelas músicas podiam perfeitamente reger a minha noite. Uma noite de dois. Encostado em uma das paredes e relativamente próximo, havia um rapaz de trinta e poucos anos, com cara de gringo e bem vestido. Certamente ele não era estrangeiro, mas seus traços talhados e marcantes enganavam.  Ele bebia com convicção sua dose de whisky, enquanto eu tomava o meu champagne. Dizem que champagne só se toma acompanhado. Eu nunca liguei pra nada disso e, mesmo que fosse verdade, era só uma questão de tempo. 

Não demorou muito o tal rapaz me notou. Eu não fiz qualquer questão de disfarçar e retribui o olhar com mais certeza ainda, assim agilizava o processo. Ele sorriu e veio até mim. Ficamos encostados na parede e conversando sobre nossos gostos. Ele era muito educado e não avançaria o sinal tão rapidamente, como eu gostaria. Eu teria de ter paciência. A música me envolvia de maneira alucinante e eu já não cabia em mim. Não estava mais disposta a esperar, eu queria aquele homem pra mim e agora. Paciência nunca foi o meu forte e, com aquela música, impossível passar a ser. Ele tinha uma voz grave e sorria para me perturbar sem fim. Eu puxei seu corpo contra o meu e, sem dar espaço para qualquer saída, experimentei seu gosto. Era exatamente aquele beijo que eu queria. Ele tomava Blue Label, pude sentir na língua. 

Perguntei se ele gostaria de me acompanhar e dar uma volta, afinal, não podíamos nos explorar ali, naquele ambiente. Ele topou mas disse que só poderia sair depois do show. Eu tinha então ainda meia hora para terminar toda a minha garrafa de champagne antes de partir. Nesta meia hora não trocamos beijos e toques. A cantora nos encarava e ele parecia conhecê-la. Ela dançava com passos calculados e ele foi tomado por uma vontade tremenda de devorar aquela mulher. Eu queria aquele homem e ele fincou suas mãos em mim ao ouvir o sussuro dela no microfone. O show terminou e ele se retirou. Conversou alguns poucos minutos com os integrantes da banda, voltou e me pediu para que eu o encontrasse em cinco minutos na saída. Paguei minha conta, fui ao banheiro garantir que eu merecia aquela noite e me dirigi à entrada. 

Lá estava ele dentro de seu carro. Lá estava ela com ele. Aquilo era tão pouco importante naquele momento. Aquele homem seria meu na frente dela ou não. Entrei no carro e seguimos para o apartamento dele. No caminho, ela cantava para nós e ria com euforia,  eu cravei minhas mãos no pescoço dele para massageá-lo e ele dirigia rapidamente, atropelando todas as leis. Sem regras e detalhes, a noite era minha e merecia ser sufocada de libido.


VS.

8 comentários:

Henrique Crespo disse...

Parte 2! Parte 2!

meunonsense disse...

AMO histórias assim. Sem brincadeira. São as que eu mais gosto de ler (quando bem escritas como a sua) e de escrever!

Que tal um curta-metragem?

Beijo bonita

Mix disse...

se ele bater o carro e todos morrerem será pessimo....
sera pessimo msm se nao morrerem...

Olkis disse...

fantastico...

Violet Scott disse...

Queridos, amanhã farei a parte II, atendendo à curiosidade de vocês. Mas já aviso que todos chegarão são e salvos! VS.

Rafael disse...

é, a libido ficou no ar!

'Parte 2! Parte 2!'

Violet Scott disse...

esperem só mais um pouquinho...
beijos a todos!

Ladislau disse...

Parte III!!!
Parte III!!!