segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Em seu tempo e no lugar



Alguns acham que não existe uma pessoa que vamos amar na vida, outros ainda acreditam no amor. Algumas histórias, das mais belas já existentes, são contadas por aqueles que ainda acreditam no amor. Ao contrário do que muitos pensam, nem todas as histórias são tristes, parte delas é sofrida e feliz, e ainda há aquelas que são tão pouco sofridas, que nem as descrevemos como tal.

Um casamento que durou anos. Metade de um século é tempo o suficiente para saber do amor. Se a decisão foi ficar junto, eu acredito que o amor estava lá. O fato é que no que eu acredito ou não, pouco importa. Este casal acreditou desde o início e não há fim para que o amor deixe de existir naquelas vidas. Eles passavam todos os dias de mãos dadas e tinham certeza de que aquele gesto simbolizava aquela união que, sem dúvida alguma, seria eterna. 

Um dia disse para eles que tanto o amor quanto a eternidade eram práticas românticas. Tive como resposta que eram verdadeiras.

 - Sim, mas não deixam de ser românticas.
 - O romantismo nem sempre é feito de verdade, e aqui não há outra matéria prima que não esta.

Me calei e só pude entender que se eles me diziam isso era porque era. Eu tenho menos da metade da idade deles e, portanto, pouca vivência para saber algo com tanta certeza. Achei que não era o caso de recorrer ao dicionário também, então, ficou assim: eles e a verdade, eu e o romantismo.

VS.

6 comentários:

Dani Fernandes disse...

Baibe, eu não sou daquelas mais indicadas pra falar sobre isso, sou romântica demais, daquelas que se emociona em comercial de margarina.
Acho que tem a ver com verdade e romantismo. A verdade é o que vc sente, aquilo que vc mal consegue explicar. O romantismo é uma maneira bacana de sentir essa verdade. Mas ela pode existir sem ele. O que não pode é existir o romantismo sem a verdade do amor.
(ui, que profundo!)
Bj enorme

D. disse...

Essas coisas do coração a gente simplesmente sente. Não não tem idade determinada pra isso. Você sentirá quando acontecer.

Beijo.

Débora disse...

Que bonito!
Romantismo não tem idade. só muda a intensidade com o passar dos anos.

Bj.

Violet Scott disse...

D., não disse ter idade e nem estava falando de mim. Eu conheço essa verdade. Obrigada.

Débora, será que muda a intensidade? Que fique a verdade. Beijo, VS.

Dani, você é minha romântica preferida!

Mix disse...

ARGH!

Ainda bem que sou nova, não é mesmo??!rs
Detesto o estilo "Amor nos tempos de cólera"... confio no respeito e na cumplicidade.

E viva o romantismo! (Que não tem idade, de fato. E se for d+ enjoa. D- desencanta.)

Saudades de vc!

Violet Scott disse...

Lala, vc é engraçada!