quinta-feira, 9 de julho de 2009

O seu medo


o seu medo é seu e só seu e para sempre seu.


O seu medo tem me revirado por poucos segundos e me embrulhado o estômago.

Eu tinha a certeza absoluta de que você era a felicidade para o mundo, agora sinto vergonha. A sua ausência se dá pelo medo tremendo que você sente. Um medo todo seu. Você acha que eu não sei que você tem medo de gostar de mim? De gostar de forma tão doce que chamará de amor. Sabe que será doce, bem do jeito que gosta. Sabe que já provou e gostou. E eu sei de tudo isso e acho patético o jeito que você se esquiva dos meus sorrisos. Você que adora abraços tem corrido do seu preferido. Covarde. Eu não faço questão nenhuma de te entender e muito menos de ter paciência. Nem perca seu tempo me pedindo algo parecido.

Sua fraqueza apagou a luz. E quer saber? Eu não vou levantar para acender de novo. Levante-se, dance, rodopie, tente até cantar. Sua voz desafinada arranha qualquer ouvido e já não envolve o meu. Você perdeu. Tem dúvida? Você me quer e isso é o seu óbvio. Vai lá, termina de contar para o seu coração e sua alma que você me quer, mas que não pode querer. 

O seu medo é o meu nojo, que me engasga, que te paralisa, que me desencanta e te rouba a alma.

VS.

Um comentário:

fernando disse...

Oi!
Talvez vc não se lembre de mim, mas fizemos Cervantes juntos. Enfim, deixo o recado pq queria saber se ainda está atrás de design gráfico. Tenho um amigo q está procurando freela e lembrei de vc no twitter.
Qualquer coisa dê um toque!
Até. Beijo!