terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Notas: plim, plim, plim

Nina Simone me trouxe esperanças hoje, enquanto dirigia de volta para casa. Parecia que nós duas estávamos conversando, durante um jantar em um bistrô desconhecido. E não é que nos entendemos!

Quais esperanças? ... de achar que muitas coisas boas poderão acontecer este ano e que a vida vai ganhar novas cores. Eu tenho acreditado nisso, mas às vezes me pego pensando que estou fadada ao buraco. O que é isso? Uma tentativa de provar para mim mesma que sou capaz de desistir? Burro isso. Nunca desisti na vida, começando pelo nascimento. As estatísticas e o médico avisavam: minha chance de sobreviver era de 1%.E aqui estou. Não cresci muito, mas a mente ficou bem fértil.

No meio do turbilhão de pensamentos, lembrei que estou com muita saudade da minha menina que é feita de verdade. Sharon. Essa é uma que eu queria que ficasse igual ursinho de pelúcia na minha estante. Para a gente olhar e sorrir quando quiser. Ela é pequenina mas mais do que isso, é ocupada. Isso só traz saudade. Muita saudade, já estou até distribuindo porções dela pelo interior de São Paulo.

O coração bate mais forte quando a gente vê ou ouve alguém que há muito tempo não temos notícias. Sério mesmo. Faça o teste.


VS.

2 comentários:

Regi disse...

love me or leave me
and let me be lonely...

nina is the queen.

Violet Scott disse...

that was the music, babe.
she is the queen and you are a genious.

VS.