segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Sorvete, corações e um pouco de Europa

Eu comecei a matar a saudade do meu pequeno irmão. Acho que nunca vou terminar. Fomos tomar sorvete juntos. Ele adora sorvete do Mc Donalds, como eu. A gente pediu o Top Sundae e descobriu que aumentou o preço. Ele deixou cair calda de chocolate na roupa toda, porque resolveu brincar com a colher. Eu entrei na onda e pintei o nariz dele de chocolate.

Pareciam duas crianças com o primeiro sorvete de suas vidas. O detalhe é que sou mais de doze anos mais velha. Logo, alguém ali não é mais criança. João me contou que chegou a chorar de tanto que sentia a minha falta e, eu, claro, me despedacei. Senti que sou a irmã mais cruel desse mundo. Ao invés de visitá-lo por muitos dias, fiquei em casa pensando na vida, lendo, pintando paredes e nada de tão brilhante aconteceu. Não dei um sorriso. Se eu tivesse feito diferente, certamente aquele menino lindo teria me arrancado as mais divertidas gargalhadas. Eu que trate de fazer melhor agora.

Convidei o pequeno para irmos ao cinema e ele disse que não podia porque tinha que sair com a Laura. Ah sim, este é o nome do namorico dele. Eu fiz mil perguntas sobre ela, que eu suponho que seja tão pequena quanto ele. Ansiosa pedi para que ele me respondesse cada uma delas. Ele riu e disse - ciumenta você! - e só. Não me respondeu nenhuma. Não gostei, é claro. Que meninota é essa? Pelo menos ele sabe diferenciar ciúme de inveja.

João prometeu que logo vou conhecê-la. Acho bom mesmo. Contou-me que se ela fosse européia e tivesse nascido há muitos anos, seria uma menina magra, de pele bem clara e longas tranças. Estou até agora pensando que tipo de comentário foi esse. Então quer dizer que ela é gordinha, morena e de cabelos bem curtinhos? Eu comentei que ele acabara de descrever uma menina do pós-guerra, na Alemanha. Ele concordou porque disse que pareceu algo importante e bonito.

O próximo encontro será uma aula sobre a Alemanha, Hitler e Segunda Guerra Mundial. Assim não paramos no - importante e bonito - dele. Depois levo o menino-mais-lindo-desse-mundo para assistir filmes com bons atores e lindas histórias sobre o período. Nada de dar enciclopédias para ele ler. Isso a escola faz.


VS.

2 comentários:

Porradenome disse...

Que coisa é essa que faz com que nossa idade suma diante de sentimentos puros?
Hoje vim rindo com uma criança o caminho todo, no trem.

Que venha a aula, ansioso deve estar.

Violet Scott disse...

essa coisa de idade é ótima e também sem importância. depende do ponto de vista.

beijo, VS.